Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2011

Porfiria + Gastroplástia - Relato de Caso.

Pesquisando na internet achei um caso igual ao meu, uma crise de Porfiria após realização de Gastroplástia. Agora me deu curiosidade em saber se a tal paciente tb teve que reverter a Redução de estomago e se voltou a ter crises de porfiria ou engordar... ??
Segue parte do Relato de caso, e ao final coloco o link, caso queiram ler o relato completo. Se um dia por acaso a paciente venha a ler este meu post, entre em contato comigo, vamos trocar idéias!!

RELATO DO CASO
"Paciente do sexo feminino, 31 anos, branca, deu entrada na unidade de terapia intensiva do Hospital Iamada, em Presidente Prudente (SP), com quadro de rebaixamento do nível de consciência e desconforto respiratório há 12 horas. Havia sido admitida neste hospital sete dias antes, com quadro de dor abdominal e lombar de forte intensidade; associada a náuseas, vômitos e inapetência. Na enfermaria evoluiu com agitação psicomotora, confusão mental e alucinações. 
Ao exame físico apresentava-se torporosa, confusa, atendendo a …

Silenciosa, a porfiria não mostra sintomas em 70% dos casos.

Dietas sem orientação médica podem até emagrecer, mas junto com os quilos vai-se também parte da saúde. Especialistas alertam que regimes drásticos, comuns quando não há acompanhamento médico, desequilibram o organismo. O resultado são carências nutricionais e, consequentemente, manifestação de doenças, como a anemia, osteoporose e a rara porfiria aguda intermitente.

Passada entre as gerações e com maior manifestação em mulheres, a porfiria não apresenta sintomas em 70% dos casos. Uma pessoa pode herdar a doença da mãe, por exemplo, que pode nunca ter sentido os sintomas ou ter sofrido uma crise. "Além do jejum prolongado, álcool, medicamentos como anticoncepcional oral e estresse físico são fatores que podem induzir à crise da porfiria", explica o geneticista Charles Marques Lourenço, médico do Serviço de Genética Médica do HC-FMRP e consultor da Associação Brasileira de Porfiria (Abrapo), criada em 2007 para reunir portadores da doença no Brasil.

Mariana T…

Reabilitando as mãos...

Imagem
Após a perda dos movimentos, a parte mais demorada de recuperar são as extremidades, mãos e pés. Melhor ainda esta sendo, pois ainda não tenho toda dorsiflesão dos pés e as forças nas mãos. Fiz minha última sessão de Terapia Ocupacional na semana passada e sempre que possível eu faço uns exercícios porque as pontas dos dedos não tem ainda tanta força.
Para se ter uma noção, minhas mãos estavam em "garras" como dizem os terapeutas... Nesta foto eu já abria as mãos e ao lado era como elas ficavam:

Qdo eu ainda não tinha forças para fazer movimentos, os terapeutas era quem faziam movimentos circulares e de dobrar e esticar... sempre com foco em abrir/esticar as mãos e os dedos...
Uma órtese para esse tipo de tratamento tem um alto custo, pois é tudo feito sob medida, e como na minha primeira crise eu havia recuperado meus movimentos, eu achava que não seria necessário usá-la por mto tempo sendo desnecessário comprá-las (apesar do meu médico ter solicitado). A órtese solicitada era…

Nada mais que a verdade...

Imagem
"Cada um tem de mim exatamente o que cativou. E cada um é responsável pelo que cativou. Não suporto falsidade e mentira. A verdade pode machucar mas é sempre mais digna"
Charles Chaplin