Tristeza dividida, tristeza aliviada.

Tenho alguns contatos com pessoas que tiveram a msm doença que eu (na TAG Porfiria vc pode saber mais sobre a doença), é incrivel como vejo a história se repetir com as várias pessoas... acredito que pra todas, eu, as que converso ou não... é mto triste e sofredor lembrar daqueles dias de crise, ou até msm falar/pensar e acabar chorando, como me acontece as vezes...

Além dos sintomas cruéis e a dor, ainda temos que aguentar médicos e enfermeiras dizendo que estamos com frescura, que é coisa da nossa cabeça, que não estamos sentindo o q falamos, acha q estamos  loucos... (sem contar os remédios calmantes que nos dão sendo que não é aconselhavel tomar)... é impressionante q nossa palavra não valha nada, sendo que a gente que está sentindo tudo... 

Dizia mto pra uma aux. enfermagem que me doia todo o corpo, que não tinha condições de ficar na mesma posição mto tempo, como não conseguia me mexer, a obrigação da enfermeira é me 'virar de decúbito', ela achou ruim que eu cobrava ela de fazer isto e ainda trouxe a enfermeira chefe pra me chamar a atenção... não é do meu feitio xingar, ofender, brigar... então gritei pra auxiliar sair do quarto antes que a mandasse @#$%*, vcs entendem...

No momento que mais precisamos, a pessoa que está lá pra nos ajudar... não ajuda? Como assim???  Então me atrapalha!! Se a pessoa não leva jeito e não tem o Dom para tal profissão, desista!! (Não generalizando, inclusive ainda vou escrever em agradecimento aos Anjinhos que tb passaram na minha vida nesse momento...)

Eu tinha uma sensação de como se tivesse me queimado a pele de todo o corpo, não podia me encostar! Não aguentava ficar nem com roupas, pedia pra minha mãe tirar, a aux. entrava no quarto e me vestia, e eu dizendo que não queria, ela agressivamente me colocava a camisola, era um martirio... e o banho? Chorava horas de dor após o banho, quase implorava pra não me dar banho! (Justo eu, apaixonada por água feito um peixe!! rsss) Ironizava perguntando onde conseguiam toalhas parecidas com lixas...

Pra mim acho que não me faz mal escrever sobre isso, acho que exorciza um pouco, rss... é como dizem: "Tristeza dividida, tristeza aliviada."  Mas é extremamente compreensível, que algumas pessoas não queiram falar sobre isso, é doloroso... pra mim tb, mas saber que outras pessoas passaram pelo que passei me faz pensar que eu não passei por td sozinha, que sabem que tudo não foi frescura. 

"Será que eu já posso enlouquecer?
Ou devo apenas sorrir?"


-- Me Adora - Pitty ♪ 

Comentários

  1. Oi, Fer... imaginar o q vc passou, todo mundo imagina, mas lendo essa sua postagem ficou mais real e é uma sensação contraditória...

    Triste, pq acabo tentando me imaginar no seu lugar, pq relembro de algumas histórias com minha mãe que não andava, com o meu pai em que tinha que dar banho, com as histórias de enfermeiras que definitivamente não deveriam estar nesta profissão, etc, etc, etc... mas tbm fico...

    Feliz, pos saber que toda fase ruim pode passar e dar lugar a coisas boas e que podemos sair mais fortes de tudo isso.

    Vc escreve muito bem e é quase possível sentir o q vc sentia, quando a gente lê. Mas o q mais me deixa feliz é lembrar de como eu te vi, não estou falando da parte física, mas emocional.

    Vc se abriu, vc agora fala claramente sobre o assunto de uma maneira aberta e com conhecimento de causa e querendo que o mundo saiba que vc está se superando a cada dia e eu acho isso maravilhoso!!! Vc pode ajudar muitas pessoas com esse seu blog.

    Eu estava falando dele pra Nathy... eu não entro sempre, mas quando posso venho aqui e adoro ler o que vc escreve... me faz parar pra pensar e dar mais valor as coisas boas.

    Vc pode ter perdido algumas coisas durante este 1 ano e pouco, mas tenho certeza que a experiência de vida que você teve, não foi em vão. Acredito que Deus nunca erra. Tem um propósito nisso tudo e vc ainda vai descobrir que renasceu para uma nova vida com muita coisa ainda pra fazer.

    Vc é um exemplo de vida, pode ter certeza.

    ResponderExcluir
  2. Oi Nana, espero que esteja tudo bem.
    Meu nome é Sandra e sou do blog O Lado negro da Mente Humana, vi seu comentário para o post da outra autora: a Debby. Ela irá se retratar no post em que escreveu, acredito que houve um mal-entendido. Nosso blog não tem a menor intenção de ofender a quem quer que seja e sim criar contos policiais e não fantásticos. Embora os contos fantásticos têm público, claro que deve ser respeitada a verossimilhança dos fatos.
    Aceite minhas desculpas em nome dela, da Debby.
    Desejo sucesso na sua vida e muita prosperidade.

    ResponderExcluir
  3. Oi fernanda é sempre bom conhecer depoimentos de quem passou por tudo isso e venceu, eu sei bem o que é isso, a tres anos atras tive minha primeira crise de porfiria, que me deixou tetraplégica, tive parada respiratória e perdi minha fala, além do coma. Sei exatamente o que é sentir uma dor absurda e ainda ouvir as pessoas te dizerem que é frescura, o banho então eu até desmaiava de tantas dores, hoje graças a Deus Hoje estou recuperada, trabalho e continuo cuidando da saude...
    Parabéns p/ vc que tbm é uma vencedora
    Mirian Antunes

    ResponderExcluir
  4. Oi Fernanda, li seu depoimento e é tudo isso que descreveu mesmo, as dores (até nos fios dos cabelos) e as pessoas achando que tudo era psicologico (como sofri com isso), alguns profissionais que nao deveriam estar onde estavam e outros doces demais (graças a Deus). Eu nao fiquei tao ruim quanto vc, mas sofri demais tb, uma passagem ruim foi quando tentei lavar meus cabelos e nao tive força pra levantar os braços e nem me manter em pé e fiquei lá horas debaixo do chuveiro até uma enfermeira ir até meu quarto e me achar lá no chao do banheiro (nao podia ter acompanhante nessa época), pq perdi as forças tomando banho e conseguia me levantar, outra foi quando pela milésima vez morrendo de dor me arrancaram o soro do braço pq nao parava de tomar banho (uns 10 dentro de 1hora, na madrugada). compartilho sua dor.

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. É, vc falando lembrei de qdo ainda conseguia ir ate o banheiro sozinha, antes de perder todo o movimento, so queria deixar a agua caindo pra aliviar, se pudesse ficava no chuveiro o dia todo e ainda ficava andando pela casa sem roupas...
    É cruel deixar uma pessoa com essa patologia sem acompanhante, minha mãe ficou e ficaria eles autorizando ou não, pq pedia pra me virar de posição de 1 em 1 minuto, coisa q as enfermeiras não faziam, acredito ate que foi o q nao me fez ter uma parada respiratoria!!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Acontece qdo menos se espera...

Medicamento: HEMATINA

Reabilitando as mãos...